Em 1795, a ambulância voadora - uma carruagem puxada por cavalos com pessoal médico treinado, foi idealizada pelo Barão Larrey para Napoleão durante sua campanha na Prússia. Assim iniciou-se a era do tratamento pré-hospitalar. Durante a Guerra Civil Americana, Tripler e Letterman do Exército Potomac reintroduziram estes conceitos, mas pouco mais foi realizado durante os próximos 100 anos.

 Os conflitos militares, especialmente a Segunda Guerra Mundial, Coréia e Vietnã, demonstraram que técnicos não médicos poderiam aumentar a sobrevivência das vítimas de trauma, iniciando o tratamento antes do paciente chegar ao hospital. Apesar desta experiência, foi somente em meados da década de 1960 que estas lições foram aplicadas à população geral, quando J.D. Deke Farrington e outros desenvolveram o primeiro programa EMT-B para civis. Desde o estabelecimento do primeiro programa do treinamento de Técnicos de Emergência Médica no corpo de bombeiros de Chicago, mais de um milhão de pessoas foram treinadas ao nível EMT-B, sendo que um quarto destas prosseguiram para níveis Avançados de Suporte de vida. Hoje, o Serviço de Emergência continua sendo um dos componentes de desenvolvimento mais rápido de tratamento médico nos Estados Unidos.

 O treinamento especializado de emergência representa uma nova geração de conhecimento de Serviços de Emergência Médica. Todo material de apoio produzido hoje, nos Estados Unidos, visa assegurar que o material didático esteja baseado nos protocolos da correta prática médica. Normalmente incorpora material do National Standard Curriculum para EMT-B conforme desenvolvido pelo Departamento de Transportes dos E.U.A, bem como material essencial de outros cursos, incluindo Suporte de Vida no Trauma Pré-Hospitalar, Suporte Básico de Vida, Suporte Avançado de Vida em Emergências Cardíacas, Suporte Avançado de Vida em Pediatria e Suporte Avançado de Vida no Trauma. As práticas e os conhecimentos apresentados fornecem a base sólida necessária para avaliar e administrar e maioria das Emergências encontradas pelo profissional Pré-Hospitalar.

 Não é fácil conseguir estes conhecimentos, pois requerem estudo, prática e repetição.

 O indivíduo que se torna um Técnico de Emergência Médica assume a responsabilidade pela vida do paciente o qual ele concorda em administrar. A profissão de Técnico de Emergência Médica é pouco semelhante a outras ocupações no mundo. São necessárias decisões críticas imediatas baseadas em conhecimentos e avaliação. Os técnicos de Emergência Médica não tem a oportunidade de voltar ao manual de estudos para determinar o adequado tratamento do paciente após chegarem ao local e antes de atendê-lo. Antes de verem os pacientes, já terão que ter os conhecimentos e as habilidades nos seus próprios cérebros e mãos. A dedicação à continuidade dos estudos é necessária para manter atualizados seus conhecimentos e aptidões para administração do paciente. As pessoas dispostas a aceitar o desafio desta exigente profissão, a acharão gratificante se estiverem mentalmente preparadas para oferecer o melhor tratamento possível.


Fonte: Livro Emergency Care
da Editora Brady - Prentice Hall

 

 
 
Teste seus conhecimentos
 
 

Em breve

 
 
RCP para Profissionais de Resgate – NSC / AAOS.
 
  O RCP-Pro é um programa inédito para qualificação de profissionais que atuam nos serviços de atendimento
 
 
Área de Anunciantes
 
 
Anuncie aqui:
Aqui você pode fazer propaganda de sua empresa, seus negócios e seus produtos.
 


©2004 - Desenvolvimento: Alessandra Faria